Categorias
Blog

Gamificação: embromation ou engajamento?


Jogos não são mais apenas um entretenimento para crianças. Muitos adultos também reservam seus momentos de lazer para eles. Além disso, os jogos também deixaram de estar apenas nos tabuleiros e foram para o mundo online.

Da mesma forma, os jogos passaram por outra transformação: deixaram de ser apenas para lazer e começaram a fazer parte do trabalho. É o que chamamos de gamificação.

A gamificação é uma grande tendência quando falamos de engajamento e aprendizagem nas empresas. Mas como isso funciona?

O que é e como funciona a gamificação?

Quando delineamos um processo em um projeto, nosso foco é na eficiência, no input-output, nos procedimentos. O mesmo acontece quando delineamos um jogo, mas os nomes são outros: o jogador, a experiência, o engajamento. O foco na eficiência, porém, continua igual.

Atualmente, fala-se muito sobre experiências do usuário. Como o cliente (leia-se: ser humano) vivencia o produto, o serviço, o momento da descoberta. O sujeito não é passivo – recebedor, e sim um protagonista que busca estímulos e recompensas.

Gamificação significa transformar os processos de trabalho em jogos que ofereçam esses estímulos à equipe. E que colocam cada indivíduo no centro da sua experiência.

Por exemplo, imagine que você faça um jogo entre seus colaboradores, com um prêmio para quem conseguir aderir às regras do novo processo mais rapidamente. Mesmo que o prêmio seja pequeno, a competição vai motivar a todos a, pelo menos, se conscientizarem do que teriam que fazer para ganhar.

E como funciona? É possível utilizar a gamificação de várias maneiras. Com competições simples, como a citada anteriormente; com jogos eletrônicos, com plataformas de gamificação e mesmo com as clássicas gincanas.

O importante é implantar o sistema de um jogo: regras e missões claras, marcadores de desempenho e recompensas.

Qual o objetivo da gamificação nas empresas?

Você já ficou muitas horas preso em um jogo de videogame? Ou tem aquele joguinho de celular que não consegue largar? Jogos, como já sabemos, prendem nossa atenção. É muito difícil largá-los enquanto eles não acabam.

Esse é o objetivo da gamificação: fazer com que sua equipe fique tão envolvida na missão que não consiga “tirar os olhos” dela enquanto não terminar.

Na prática, isso significa mais produtividade e engajamento. Afinal, quando nada nos distrai de uma tarefa, conseguimos fazer muito mais em menos tempo.

Quais são as vantagens da Gamificação?

A produtividade não é a única vantagem da gamificação. Podemos elencar alguns outros benefícios, como:

Incentivo à atualização e capacitação. Jogos são uma maneira simples de aprender e que pode ser facilmente inserida no dia a dia dos colaboradores, aumentando as possibilidades de tornar treinamentos e programas de capacitação algo mais motivante.

Aprendizado prático. Muitos profissionais se sentem receosos ao tentar novas abordagens para o processos rotineiros no trabalho. A gamificação permite que eles testem a criatividade e novos comportamentos em um ambiente virtual, por exemplo, antes de aplicar na vida real.

Mais engajamento. Mesmo quem não costuma se envolver em muitos projetos pode se sentir mais motivado quando a proposta é participar através de um jogo.

Feedback instantâneo. A gamificação oferece diversos marcadores de desempenho para os jogadores. Assim, eles recebem feedback instantaneamente quando o desempenho nas tarefas está sendo satisfatório ou quando precisa melhorar.

Competição amigável. Ninguém gosta de perder, não é mesmo? A competição amigável estimulada pela gamificação é uma forma de incentivar os colaboradores a darem seu melhor.

Estímulo da criatividade. Os jogos permitem e até mesmo exigem que os participantes sejam criativos e inovadores. Quem sabe não é aí que nasce a próxima grande ideia para a sua empresa?

Trabalho remoto. Não podemos deixar de citar essa vantagem.  A gamificação pode ser trabalhada de maneira totalmente online. Ou seja, mesmo que sua empresa esteja optando pelo trabalho remoto, ainda é possível se beneficiar dela.

Como podemos perceber, utilizar a gamificação não é embromation nem perda de tempo para sua equipe. Nem mesmo apenas um momento de descontração em meio à rotina de trabalho. Ela é, de fato, uma maneira de melhorar a produtividade da equipe, estimular a inovação e reforçar novos comportamentos.

Que comecem os jogos!

Fabiele Nunes, CEO e co-fundadora da Startup Mundi, empresa especializada em experiências gamificadas que aceleram o aprendizado de competências de empreendedorismo e inovação.