fbpx
Tempo de leitura: 2 minutos

O futuro deixou de ser utópico e se torna cada vez mais real devido a todas as mudanças digitais que a sociedade está sofrendo com uma rapidez assustadora nos últimos tempos. Por isso, não se espante, nem olhe com certa cara de desdém, quando ouvir por aí que o futuro é agora, pois você está de fato fincando os pés nele.
O Brasil ainda caminha com passos curtos em direção às transformações que andam impactando o mundo com o avanço da tecnologia, o que nos faz muitas vezes ficar com a sensação de que estamos atrasados em vários setores. De fato, há muitos países saindo na frente e se tornando verdadeiros exemplos quando se trata de criar soluções inovadoras para a população por meio da tecnologia. Tudo isso nos dá uma pontinha de esperança com relação ao nosso futuro.
A sociedade digital criada pela Estônia, país europeu com 1,3 milhão de habitantes, é um modelo de governo que tem sido estudado e servido de referência para vários outros países, como o Japão — famoso mundialmente por suas invenções tecnológicas —, com o intuito de desburocratizar os serviços administrativos que o governo oferece à população.
Conhecido como e-government (termo em inglês para governo eletrônico), atualmente apenas três serviços exigem a presença física do cidadão em uma instituição do governo: casamento, divórcio e transferência de imóvel. Todo o resto pode ser feito por meio de assinatura digital, sem a necessidade de nenhum papel ou qualquer deslocamento.
Até as eleições presidenciais já são feitas de forma digital. Sem filas, sem burocracia e de forma extremamente segura. Isso, sim, é viver no futuro!
“A Estônia tem provavelmente o governo digital mais unido do mundo. Seus cidadãos podem concluir quase todos os serviços municipais ou estaduais online e em minutos”, afirmou Peter Herlihy, do Serviço Digital do Governo do Reino Unido
Mas você deve estar se perguntando: como isso é possível? A resposta é fácil, acesso à internet, grande banco de dados e tecnologia extremamente segura para proteger a privacidade dos cidadãos.
Entretanto, diferentemente do que parece, essa transformação não foi algo que aconteceu do dia para a noite. Em 2001, a Estônia era conhecida como “uma sociedade desconectada”. Com o objetivo de mudar essa situação, o país lançou um programa de identificação eletrônica, quando igualou a assinatura digital à física. Hoje, 98,2% de sua população possui RG digital, com um chip que oferece acesso a pelo menos 500 serviços do governo.
Além disso, o acesso ao Wi-Fi é para todos. Afinal, só se constrói uma sociedade digital com internet de boa qualidade e acessível, por isso o governo estoniano instalou centenas de pontos de acesso à rede por todo o país.
Com uma infraestrutura forte, a Estônia desenvolveu o X-Road, tecnologia de segurança de dados muito parecida com o famoso blockchain, que protege a troca de informações entre residentes, instituições públicas e empresas privadas. Também foram criadas leis, chamadas de direito digital, para regulamentar o uso dessas informações e garantir sua privacidade.
Esse sistema não só deixou a vida dos estonianos mais prática, mas também gerou impacto significativo na economia. O ex-presidente que governou o país até 2016, Toomas Hendrik Ilves, afirmou que, graças à digitalização desses serviços, foi possível poupar 2% do PIB. Ele ainda defendeu que a tecnologia é só um impulso, pois grandes mudanças só acontecem a partir de muita vontade política de fazer o melhor pela população.
Agora, a Estônia tem ajudado alguns países a criar seus governos eletrônicos, na lista estão Japão, Finlândia, México, Panamá e Uruguai, esse último já é o mais avançado da América Latina no quesito administração digital.
Para os brasileiros fica a esperança de que um dia as tecnologias exponenciais também sejam o empurrãozinho que falta para a criação de uma sociedade cada vez mais digital e sem tanta burocracia.

Receba novidades por e-mail.