fbpx
Tempo de leitura: 2 minutos

Na edição do SXSW 2018, diversas sessões abordam o tema Inteligência Artificial com destaque ainda maior para os Assistentes Digitais por Voz, tendência apresentada como um novo ponto de revisão de como pensamos e utilizamos tecnologia.

Na primeira palestra que assisti sobre esse assunto, intitulada: “Developing for the Age of Digital Assistants“, o Gerente de Produtos de Assistentes Digitais do Google, Brad Adams, apresentou em alto nível diversas características e componentes que compõem o Google Home (Assistente Digital do Google), desde microfones e softwares capazes de identificar palavras-chave de ativação como “hey, Google”, “hey, Siri” e “Alexa“, até como a inteligência embutida em cada um dos aparelhos para que não seja necessário trafegar dados pela rede para identificar uma ativação.

Outro ponto destacado por Adams foi o DialogFlow, plataforma tecnológica criada pelo Google para suportar as interações homem-computador usando linguagem natural de conversação, que é aplicado no Google Home. Além de apresentar rapidamente a plataforma, Adams lançou o desafio para que novos casos de uso sejam criados, obviamente alavancando assim o uso do assistente digital.

Na minha segunda sessão sobre o mesmo assunto, Christopher Ferrel em sua palestra intitulada “I’ve Got No Screens: Internet’s Screenless Future”, de forma bem humorada cativou a audiência durante sua sessão.

Segundo números apresentados por Christopher, em 2020 cerca de 30% das navegações na web serão feitas “sem tela” (screenless), sendo que somente nos EUA mais de 10 milhões de residências vão possuir um aparelho screenless com um total estimado de 60 milhões de usuários, utilizando desde dash buttons, headphones, controles com sensor de movimento, assistentes digitais entre outros.

Para Ferrel, a mudança de paradigma deverá acontecer em diversas frentes, entre elas:

– De Mobile First para Voice First (Mobile First -> Voice First)

– De Tela para Auto-falantes  (Screen -> Speakers)

– De Navegação Visual para Navegação por áudio (Visual Web -> Audio Web)

– De Cabeça Baixa para Queixo para Cima (Face-down -> Chin-up)

Para fechar, foram apresentados alguns vídeos e reviews de casos de uso da tecnologia, como o engraçadíssimo vídeo de uma vovó utilizando o Google pela primeira vez, o caso da menina de Dallas que fez o pedido de uma casa de boneca e cookies no valor de US$ 170 usando Alexa e do emocionante depoimento de um filho sobre a assistente de voz ter se tornado a melhor amiga de seu pai (que é cego).

Não tenho dúvidas sobre a grande contribuição e comodidade que o screenless nos traz e agora é trabalharmos para encontrarmos o melhor uso da tecnologia.

 

Por Nilton Tadashi Yonezava, Diretor de Negócios da CI&T.

É responsável por integração de operações e desenvolvimento de negócios na região Sul e Oeste dos EUA, incluindo planejamento estratégico, relacionamento executivo, montagem de times de alta performance, entrega, operação e gestão pós-entrega.

Receba novidades por e-mail.