Categorias
Blog Sem categoria

Sua carreira após a pandemia, por Leandro Herrera

Estamos diante de uma das maiores transições de modelo de trabalho dos últimos anos. A evolução da pandemia do coronavírus pelo mundo tirou milhões de pessoas do mercado de trabalho formal, jogou luz às condições e necessidades dos trabalhadores informais e colocou quem manteve seus empregos para produzir dentro da própria casa – desta vez, não como um benefício, mas uma obrigatoriedade.

“Nunca antes havíamos mudado a forma de produção tão rápido e a dinâmica de trabalho de forma tão massiva, em escala global, como aconteceu nos últimos meses” é o que afirma Leandro Herrera, CEO da Tera, empresa voltada a auxiliar profissionais em busca de novas habilidades ou em transição de carreira, assim como empresas em adequação ao digital

Para ajudar nossos leitores a prepararem suas carreiras para o cenário atual (e para os próximos anos), Herrera separou cinco dicas essenciais para entender novos modelos de trabalho e ciclos de carreira. Veja abaixo.

Reconhecer que existe um novo “espaço de trabalho” e que sua dinâmica é diferente – Existem duas dimensões radicalmente alteradas na forma como trabalhamos atualmente. A primeira diz respeito às ferramentas de trabalho, a segunda às nossas atitudes e comportamentos. Com o coronavírus, muitas empresas descobriram que alguns setores podem funcionar normalmente mesmo trabalhando de maneira remota. Com este bem-sucedido experimento em massa, muitas organizações já planejam manter uma parte da equipe trabalhando remotamente, mesmo após o fim da pandemia. Profissionais mais desatualizados precisarão se adaptar a este novo espaço de trabalho e às novas dinâmicas que surgirão em decorrer a esta mudança.

Conhecer e se especializar nas novas ferramentas de trabalho – Para produzir de forma integrada e colaborativa, é fundamental definir e aprimorar o uso de softwares de gestão, organização, criação e colaboração virtual. De certa forma, a combinação que você fizer entre diversas ferramentas, cada uma com a sua finalidade, irá definir sua capacidade de criar e produzir nos próximos meses. Ferramentas como Google Suite (para planilhas, documentos, pastas, formulários e etc), Notion (software usado como uma base de conhecimento da organização para facilitar a gestão de projetos entre equipes), Matrix (software open-source que permite que os colaboradores da empresa se vejam e interajam num ambiente virtual), Slack (para mensagens do dia a dia), Zoom (para reuniões), Miro (para criar fluxos, experiências e processos, com colaboração em tempo real) e Loom (para auxiliar na explicação do conteúdo de documentos ou planilhas) farão ainda mais parte da nova dinâmica do trabalho pós-coronavírus.

Definir uma estratégia de aprendizagem ativa e organizar uma rotina de estudo e desenvolvimento para se manter atualizado com as necessidades do mercado – O World Economic Forum, em pesquisa sobre o futuro do trabalho lançada em 2018, já apontava a “capacidade de definir uma estratégia de aprendizagem ativa” como uma das competências mais importantes para profissionais em 2022. A crise do coronavírus apenas antecipou essa tendência.

Uma estratégia de aprendizagem ativa reúne três elementos: o que estudar, como estudar e qual a evidência prática deste processo. Nos primeiros dias de isolamento social, ficou claro o volume de cursos, palestras, podcasts, séries educativas e todo tipo de recurso, das mais variadas temáticas, que temos à nossa disposição. Pular de um curso para outro provavelmente irá dissipar a sua energia e aumentar a ansiedade. Ter foco e clareza dos seus objetivos com o aprendizado é fundamental.

Mais do que escolher uma miríade de cursos online, meu conselho é que você defina um projeto no qual a sua nova habilidade poderá se manifestar. Por exemplo: tenho visto pessoas que estão estudando ciência de dados publicarem análises e projeções relacionadas aos possíveis desdobramentos da pandemia na sociedade. Elas estão aprendendo uma nova competência e praticando diretamente na busca por respostas para um problema mundial, de forma ativa e propositiva.
Crie seus próprios projetos e metas, defina um calendário de aprendizagem e, se possível, foque em um curso por vez. Reconheça seus avanços e compartilhe com o mundo. Você pode fazer isto estando ou não em um emprego fixo neste momento.

Mapear tendências do mercado de trabalho para se tornar um profissional híbrido – Quando tudo isto passar, para onde vai o mercado de trabalho? Quais são as habilidades e profissões que tendem a crescer, quais entrarão em declínio? Quais indústrias e mercados mais tendem a crescer, e quais mudarão radicalmente? Assim como acompanhamos as tendências de disseminação do vírus, precisamos acompanhar seus desdobramentos no mercado de trabalho.
É inegável que todas as empresas precisarão desenvolver novas tecnologias, e este será um caminho sem volta. As que sobreviverem ao cenário atual não irão querer correr o mesmo risco novamente – e vão investir com urgência em produtos, serviços e experiências digitais.
Profissionais híbridos, que combinam experiência em negócios e habilidades em tecnologia, irão crescer ainda mais rápido, com possibilidade de movimentação profissional mesmo durante a crise. Se você se sente fora dessa categoria, a quarentena pode ser o momento ideal para turbinar suas habilidades, seja em UX Design, Product Management, Ciência de Dados, Desenvolvimento de software, Marketing Digital, entre outras. Aproveite o momento para crescer.

Seja cada dia mais humano – As pessoas estão passando por níveis altos de estresse e lutando para se manter sãs e produtivas, dia após dia. Após o fim da pandemia, profissionais que desenvolveram crises emocionais ainda estarão lutando contra estes problemas internos. Por isso, mais do que nunca devemos ser profissionais – e humanos – empáticos e abertos ao diálogo.
Converse abertamente sobre seus sentimentos, busque entender a perspectiva do outro antes de julgar, busque se comunicar de forma positiva e colaborar no que estiver a seu alcance para minimizar o impacto da covid-19 em sua família e comunidade. É possível que os hábitos e habilidades que desenvolvermos nos próximos meses nos acompanhem pelo resto da vida. Foque em melhorar como profissional e também como pessoa.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *