Tempo de leitura: 2 minutos

Em pesquisa, a Page Personnel detectou que 9 em cada 10 profissionais contratados pelas suas características técnicas acabam demitidos por questões comportamentais.

Esse problema afeta a rotatividade e causa prejuízo financeiro para as empresas. Por isso, entender o que é perfil comportamental é necessário e estratégico.

Os processos de recrutamento e seleção precisam estar cada vez mais apurados. Além das hard skills, é preciso estabelecer métodos e ferramentas para detectar as habilidades socioemocionais — as soft skills — de cada candidato.

Quer entender mais sobre como os perfis comportamentais ajudam nessa abordagem? Continue a leitura!

O que é perfil comportamental?

Compreender o comportamento humano é um desafio que intriga especialistas desde épocas antigas. Na Grécia, filósofos como Hipócrates e Galeno estudavam as tendências comportamentais da sociedade a fim de encontrar padrões específicos.

Os estudos seguiram e, em 1920, o PhD em Psicologia pela Universidade de Harvard, William Marston estabeleceu a metodologia DISC. Seu estudo determinava quatro padrões comportamentais presentes em todas as pessoas, mas com diferentes predominâncias.
São elas:

Dominance (dominância): controle, poder e eficácia;
Influence (influência): comunicação e relações sociais;
Steadiness (estabilidade): paciência e persistência;
Conscientiousness (cautela): organização e estrutura.

O DISC tornou-se aplicável nas empresas com o passar dos anos. A evolução das análises comportamentais foi progredindo e os perfis DISC foram atualizados e adaptados para nomes que os deixam mais claro e objetivo:

– Executor;
– Comunicador;
– Planejador;
– Analista.

Como são os 4 perfis comportamentais?

É importante destacarmos que todas as pessoas têm características advindas dos quatro perfis comportamentais. Entretanto, há uma predominância de um, dois ou até três perfis. Isso varia conforme a vivência e o momento em que a pessoa realiza um teste de perfil comportamental.

Por meio de uma análise do perfil, o departamento de RH pode decifrar as habilidades socioemocionais dos candidatos. Com essa percepção, é possível entender se a pessoa está qualificada — para além das habilidades técnicas — para seguir no processo seletivo ou não.

Ao contrário do conhecimento técnico — adquirido em escolas e cursos —, as soft skills são desenvolvidas por meio de estímulos diferentes ao longo de sua vida. As pessoas são submetidas aos desafios profissionais e pessoais e, dessa forma, criam capacidades emocionais diferentes. Cada perfil tem características predominantes, veja abaixo quais são elas.

Analista
O perfil analista tem como características predominantes a rigidez e o comprometimento com o trabalho. São, geralmente, pessoas altamente intelectualizadas e com alta capacidade crítica.

A tendência é que as pessoas analistas sejam mais caladas e retraídas. No ambiente de trabalho, são leais e comprometidos com os resultados e a entrega, buscando sempre o máximo de qualidade.

Comunicador
Se os analistas são introvertidos, pessoas com o perfil comunicador são o extremo oposto.

Falantes e informais, esses profissionais gostam de trabalho em equipe e lidar com situações de desafios. É importante dizer que comunicadores tendem a não gostar de rotina e se adaptam com rapidez às mudanças.

Executor
O perfil executor aponta pessoas com tendências comportamentais ativas, otimistas e dinâmicas.

Destacam-se por assumir a liderança de projetos e terem alta tolerância para os riscos. São perseverantes, enxergam os desafios como possibilidades de crescimento e não desistem com facilidade. São focados em resultados, por isso gostam de desenvolver tarefas rápidas. Em alguns cenários, eles podem ser altamente competitivos.

Planejador
Por fim, o perfil planejador tem características como a calma, a tranquilidade, o cuidado e o autocontrole como predominantes.

Gostam de rotinas e cronogramas para se organizarem nos afazeres, por isso, mudanças podem ser assustadoras. São introvertidos e bastante empáticos, se preocupando com o impacto dos seus afazeres no mundo e com o bem-estar dos seus colegas de trabalho.

Ao entender o que é perfil comportamental, a empresa estará apta a realizar contratações mais eficazes, associando não apenas as necessidades técnicas, mas também as comportamentais para cada uma das vagas.

Por meio da análise de perfis, é possível promover uma verdadeira evolução na Gestão de Pessoas. Aproveite a sua visita e confira tudo sobre Gestão Comportamental!

[shareaholic app="share_buttons" id="25714566"]
Receba novidades por e-mail.