fbpx
Tempo de leitura: 3 minutos

Com grandes mudanças afetando as áreas internas e externas de uma organização, responder rapidamente a elas passa a ser condição vital para a sobrevivência de empresas nos mercados competitivos.

O modelo de organização ágil oferece uma metodologia para gerenciar pessoas e operações diferente do que estamos acostumados a ver: você e sua empresa se tornam rápidos em responder a mudanças no mercado por meio de ciclos de decisão curtos, lidam eficientemente com novas ameaças e se mantêm atualizados sobre os avanços em tecnologia, favorecendo assim que as operações prosperem em ambiente turbulento.

A organização ágil é rápida em responder a mudanças no mercado por meio de ciclos de decisão rápidos.

Apple, Philips e ING Bank vêm operando com sucesso o modelo ágil, outras empresas também estão procurando adotar a abordagem ágil, o que significa se afastar de uma hierarquia gerencial (em que as decisões são tomadas de cima para baixo) e não aderir mais a processos estritamente estruturados.

Como é o modelo de organização ágil?

Embora a agilidade promova comunicação aberta e métodos mais flexíveis, ser ágil não deve ser confundido com instabilidade. Além de serem capazes de se adaptar e mostrar resiliência, para que as empresas obtenham sucesso com um modelo de organização ágil, elas devem projetar estruturas, governança e processos com um conjunto relativamente estável de elementos centrais.

Estrutura da organização: migração de estruturas hierárquicas de gerenciamento para redes e equipes que trabalham mais perto dos clientes, tendo mais controle sobre a tomada de decisões.

Equipes e projetos: redes ou equipes montadas rapidamente com base em conjuntos de habilidades, e rapidamente desmontadas quando os projetos são concluídos.

Funções: colaboradores que normalmente atuam sob uma descrição de cargo passam a trabalhar em projetos que fazem uso de suas habilidades, permitindo que a equipe trabalhe em vários projetos de diferentes áreas no negócio, ampliando as oportunidades de carreira.

Gestão de equipes: os gestores não se concentram apenas em supervisionar pessoas, mas lideram projetos e patrocinam os colaboradores certos para cumprirem os requisitos do projeto.

Reconhecimento e recompensas: em vez de reconhecer os colaboradores avaliando o nível de dedicação ou experiência, as recompensas são baseadas nos resultados de entregas, reputação e patrocínio de colegas ou líderes.

Cultura: indiscutivelmente o elemento mais importante para garantir que a organização ágil obtenha sucesso, a cultura ágil da empresa terá influência em todas as áreas e todas as funções.

Quais são os benefícios de uma organização ágil?

Analisando o ING Bank, por exemplo, o modelo ágil proporcionou aumento da produtividade das equipes, melhor experiência do cliente, maior envolvimento e engajamento dos colaboradores, e redução de conflitos improdutivos.
Os modelos ágeis bem-sucedidos têm em comum estes cinco fatores bem estabelecidos:

1 – Propósito e visão compartilhados para ajudar as pessoas a se sentir pessoalmente e emocionalmente envolvidas.

2 – Uma rede de equipes capacitadas (equipes multifuncionais e autogerenciadas), que recebem total responsabilidade sobre descobrir soluções próprias e fornecer resultados excepcionais.

3 – Decisão rápida e ciclos de aprendizagem para administrar a incerteza em ambientes em constante evolução.

4 – Um modelo de gestão de pessoas dinâmico, que provoque o alto engajamento e promova uma cultura organizacional que coloca as pessoas no centro das decisões, envolvendo e criando valor.

5 – Tecnologia de ponta que favoreça velocidade e flexibilidade em reações rápidas às necessidades do negócio.

Qualquer organização pode se tornar ágil, mas precisa ter clareza sobre o motivo pelo qual deseja se tornar ágil, para que os pilares iniciais possam ser bem estabelecidos e definidos o como e o quando.
Pelo que é observado no mercado brasileiro e mundial, o design ágil está se tornando o modelo operacional de negócios que mais bem responde a ambientes complexos e incertos, com 71% das organizações já usando algum tipo de abordagem ágil.

Portanto, se você está procurando se manter à frente, agora é a hora de começar a desenvolver e implementar essas práticas.

Roberto Mosquera é especialista em Organizações Ágeis, consultor e facilitador em Design Sprint, Scrum, Lean startup, OKR e Planejamento estratégico ágil. Consultor e facilitador da HSM e da HBR. Foi executivo em consultorias e mercado financeiro nas áreas de cultura, processos, desenvolvimento e gestão de negócios.

Receba novidades por e-mail.