blogSU: fique por dentro
do universo SingularityU

As novas tecnologias – e sua notável contribuição para o aumento da segurança em diversos segmentos de atuação – podem e devem ser utilizadas como ferramentas de apoio à evolução da nossa sociedade. Nesse sentido, contar com motoristas melhor preparados para reagirem às mais diversas situações e promover um trânsito mais seguro e sustentável são as principais vantagens que se pode alcançar com essas tecnologias.

 

Comprovada por especialistas, pesquisadores e acadêmicos, a eficácia dos simuladores de direção começou a ser pesquisada no Brasil há quase dez anos. Em 2009, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), por recomendação do Ministério das Cidades, encomendou um estudo à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) para aprofundar o conhecimento do país sobre o assunto e introduzir a prática simulada na formação de motoristas na categoria B.

 

Hoje, os simuladores de direção veicular são uma realidade para quem almeja adquirir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria B, contribuindo significativamente para o processo de formação de condutores brasileiros. Conhecida como pré-prática, essa etapa do processo de formação de candidatos promove o exercício de 5 a 8 horas/aula no equipamento, nas quais os condutores são submetidos a situações adversas, difíceis de serem vivenciadas em aulas práticas reais.

 

Em busca de resultados positivos em prol de um trânsito mais seguro, cerca de 3,5 milhões de candidatos à obtenção da CNH já passaram por mais de 12 milhões de aulas, em um dos 5 mil simuladores instalados por todo o Brasil, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Simuladores Profissionais – ANFASP, gerando uma formação com mais qualidade e segurança.

 

SIMULADORES DE DIREÇÃO

 

Em 2016, em uma ação inovadora, o SEST SENAT instituiu o Projeto de Capacitação com Prática de Direção Simulada, com foco no aperfeiçoamento de motoristas autônomos e de empresas de transporte de cargas e de passageiros por meio da utilização de simuladores de direção de veículos pesados.

 

Amplo e com foco no desenvolvimento profissional desses motoristas, o projeto inicia um importante avanço para a segurança no trânsito, para a redução de custos das empresas e para a eficiência energética. Os 30 cursos de Capacitação com Prática de Direção Simulada abordam desde a condução antecipatória e a condução em situações de risco até o uso de tecnologias embarcadas e as manobras com veículos pesados.

 

Como estratégia didática e pedagógica, o simulador de direção é uma ferramenta importante e eficaz para os treinamentos tanto para motoristas iniciantes quanto para motoristas experientes. Ele possibilita vivenciar, em um ambiente controlado por meio de softwares específicos, diversas situações e condições de trânsito, permitindo o ensino das técnicas e dos hábitos corretos de direção. O potencial didático da ferramenta também é de grande relevância para os instrutores, pois permite um feedback mais eficaz da condução dos treinandos mediante a análise de relatórios que contêm os erros e acertos apresentados no trajeto, possibilitando a correção imediata do comportamento inadequado e a prática correta da condução do veículo a fim de alcançar uma maior segurança e economicidade.

 

Para se ter uma ideia do potencial do projeto para todo o setor, segundo Sondagem realizada pela Confederação Nacional do Transporte – CNT[1], 48,2% das empresas que já ofertaram capacitações diversas a seus empregados já reduziram em até 6% o consumo de combustível. Além disso, o treinamento de motoristas com foco em condução econômica pode representar uma redução de 12% ou mais no consumo de combustível.

 

Se projetarmos toda a economia da qual o setor de transporte poderá se beneficiar ao longo dos anos, considerando que o preço médio do litro de diesel gira em torno de R$ 3,53 e que cada litro de diesel queimado emite 3,2 kg/CO2 (IPEA/2011), percebem-se a quantidade de toneladas de CO2 que serão evitadas na atmosfera e o montante de gastos com combustível e manutenção de veículos que poderão ser revertidos em investimentos pelas empresas de transporte e pelos motoristas autônomos. Em um mundo cada vez mais focado em sustentabilidade, essa é uma ação de enorme impacto para o setor.

 

Portanto, os treinamentos realizados no simulador de direção para motoristas profissionais ratificam, de forma definitiva, um compromisso com a sustentabilidade, uma vez que a prática simulada possibilita uma significativa redução do impacto ambiental, uma diminuição do custo de operação das empresas de transporte e dos autônomos de todo o Brasil, além do aumento da segurança no trânsito.

 

Planeja-se que, até o final de 2019, o projeto esteja presente em 203 unidades do SEST SENAT, abarcando todos os estados brasileiros. Vale destacar que, atualmente, já existem 75 simuladores de direção em funcionamento, mais de 11 mil alunos matriculados em quase 1.500 turmas e mais de 17 mil horas de prática simulada realizadas[2].

 

Projetos como esse ressaltam a importância da utilização de novas tecnologias para o aprimoramento de conhecimentos, a conscientização e o desenvolvimento técnico dos motoristas profissionais responsáveis pelo transporte de cargas e passageiros do país.

 

[1] CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO TRANSPORTE. Sondagem CNT de Eficiência Energética no Transporte Rodoviário de Cargas. Brasília, 2015.
[2] Dados do SEST SENAT extraídos no período de 1º/10/2016 a 12/4/2018.
2018-04-19