Categorias
Blog

HSM Now! People: O despertar de uma nova consciência


Um dia focado em transformações pessoais e mudanças de relacionamento na vida e no trabalho, com os speakers Jorge Forbes, Kaká Werá, Lourenço Bustani, Eduardo Schenberg, Esther Perel e Paulo Lima.

“O novo anormal”, por Jorge Forbes

Médico psiquiatra, psicanalista e co-fundador da Escola Brasileira de Psicanálise, Jorge Forbes iniciou o dia de palestras apresentando o conceito de TerraDois.

Segundo o presidente do Instituto da Psicanálise Lacaniana, à primeira vista, não há diferenciação entre a fase moderna (TerraUm) e pós-moderna (TerraDois) da humanidade, já que geograficamente nada mudou. Mas a maneira com que as pessoas passaram a viver é totalmente diferente.

“A diferença fundamental entre TerraUm e TerraDois é que a primeira é uma sociedade verticalizada, enquanto a segunda é horizontalizada. É uma diferença imensa. É uma sociedade em rede, sem padrão. Isso abre espaço para a criatividade e, ao mesmo tempo, leva a mais responsabilidade. Se diante do padrão temos de ser disciplinados, diante do criativo precisamos ser responsáveis. Estamos em uma sociedade que é menos padronizada e mais criativa”, explica.

E essas mudanças não se limitam à esfera pessoal ou social, chega também nas relações profissionais. Para Forbes, as organizações que tentarem manter um modelo relacional focado em eficiência e não em diversidade vão ficar para trás.

“De volta às origens: identidade e pertencimento”, por Kaká Werá

Escritor, ambientalista e palestrante, o indígena de origem tapuia, Kaká Werá, é também fundador do Instituto Arapoty – voltado à difusão dos saberes indígenas por meio da educação e de saberes sociais. Há mais de 20 anos, ele leciona na Universidade da Paz (UNIPAZ), instituição de ensino superior localizada em Díli, capital do Timor-Leste.

Durante sua apresentação, Werá trouxe luz à questão da ancestralidade. “Nossos arquétipos estruturam as virtudes sagradas que sustentam o nosso ser. Quando nos conectamos com a ancestralidade divina, nos aproximamos da nossa verdadeira essência, o que somos” afirma.

Kaká sugere que, para o cultivo da ancestralidade divina, pratiquemos as seguintes ações:

  • Honrar, agradecer, liberar e reordenar a constelação de antepassados
  • Integrar a natureza exterior como extensão da natureza interior
  • Cultivar a essência primeva, que é uma fonte pacífica mas poderosa, por nos dar o senso de pertecimento que nos conecta ao todo

“Mente aberta: um novo caminho para a saúde mental”, com Eduardo Schenberg e Lourenço Bustani

O empreendedor e conselheiro do Instituto Phaneros, Lourenço Bustani, bateu um papo com o biomédico Eduardo Schenberg.

Schenberg empreende no desenvolvimento de novos tratamentos psiquiátricos. E coordenou o primeiro estudo com uso terapêutico de MDMA em sessões de psicoterapia para tratamento de casos graves de transtorno de estresse pós-traumático, com aprovação da ANVISA em 2015.

Durante a conversa, o biomédico alerta que entre 30% e 40% dos pacientes não responde bem aos tratamentos psiquiatricos medicamentosos atuais.

“A OMS estima que no séc. XXI a área mais critica de saúde no planeta seja a da saúde mental. A cidade de São Paulo tem a maior taxa de transtornos mentais e depressão de todas as maiores megalópoles do planeta, segundo estudo da Harvard. O Brasil é líder em transtorno de ansiedade e o segundo do mundo em casos de depressão”, afirma Schenberg.

Os dois convidados finalizaram o encontro reiterando a importância de se dar voz à ciência no Brasil.

“As relações humanas no mundo pós-isolamento social”, com Esther Perel e Paulo Lima

Para encerrar o dia, o fundador da Editora Trip, Paulo Lima, entrevistou a aclamada psicoterapeuta belga Esther Perel.

Considerada como uma das principais vozes sobre relacionamentos individuais e coletivos do mundo, é também experiente em tratamentos de traumas coletivos, como o ataque terrorista de 11 de setembro. Segundo Esther, a quarentena maximiza o repertório de emoções dos indivíduos.

“O Covid é um desastre. E como em um desastre natural, a sensação de incerteza de quando isso chegará ao fim intensifica o stress. Há quem se torne mais prático e estruturado para enfrentar o desconhecido. E há quem passa por isso de uma maneira mais emocional. A maneira com que cada pessoa processa esse período de pandemia é reverberada nas relações sociais.“, afirma Esther.

Para a psicóloga, a gentileza e possibilidade de ser útil à sociedade é uma ótima maneira de redefinir seu propósito.

No próximo dia 15, a partir das 9:00, você poderá acompanhar o NOW! Business, com nomes como Amy Webb, Gabriela Priori, Paula Bellizia, Lama Tsering, Pascal Finette, e Paulo Rogério. Para acompanhar o evento, basta se cadastrar nesse link.