Categorias
Blog

Acelerando o digital: pontos de partida


De acordo com relatório da Gartner, o COVID-19 fez com que 7 em cada 10 conselhos de administração acelerassem seus negócios digitais. Mas acelerar o digital requer uma mudança nos hábitos de trabalho, e a realidade é que as pessoas não mudam seus hábitos da noite para o dia.

A aceleração não é apenas um problema de tecnologia. Requer um esforço deliberado para repensar as formas como o trabalho é executado, os processos são realizados e as decisões são tomadas, permitindo uma maior agilidade e melhor adaptação à cultura de trabalho que vem emergindo.

“Acelerar os negócios digitais significa trabalhar de forma diferente e mais rápida, mas as pessoas não mudam seus hábitos de trabalho sob comando, assim como não mudam seus hábitos alimentares sob comando”, diz Mary Mesaglio, da Gartner. “Os líderes executivos devem estruturar a mudança para os funcionários, definindo novos valores ou dobrando os valores existentes e, em seguida, vincular os comportamentos esperados a eles. Apenas declarar os valores é muito vago.”

A partir disso, a empresa formulou um relatório recomendando que os líderes adotem três comportamentos-padrão para se tornarem mais ágeis. Cada comportamento tem três exemplos de hacks para você começar.

Acelere a tomada de decisão
Os segredos para a entrega acelerada de produtos, governança e outros processos vem de permitir uma tomada de decisão mais rápida dentro da organização. Os motivos pelos quais as decisões geralmente levam muito tempo variam: evasão de responsabilidades, aversão ao risco, objetivos pouco claros, resultados projetados mal definidos ou falta de informação.

A velocidade de uma decisão deve ser determinada pela velocidade com a qual ela pode ser revertida. Ou seja, quanto menos crítica for uma decisão, menor será o tempo necessário para tomá-la. Da mesma forma, se a decisão tiver mais consequências, mais tempo levará para tomá-la.

Hack nº 1: “Não” não é permitido
Os líderes não podem simplesmente dizer “isso não vai funcionar”. Em vez disso, eles devem perguntar: “Como isso funcionaria, dados os regulamentos XYZ?” Certifique-se de ressignificar o negativo como um pedido por mais informações, especialmente para quaisquer ideias que sejam novas ou não testadas.

Hack nº 2: a bola para aqui
Apenas uma pessoa é necessária para aprovar qualquer decisão inferior a R$X. Seja claro sobre quem e quando um funcionário tem autoridade para aprovar a decisão.

Hack nº 3: Procure resistência primeiro
Encontre a pessoa com maior probabilidade de discordar de sua decisão e peça-lhe que lhe diga tudo de errado com ela. Aborde as preocupações com antecedência para tomar decisões mais rápidas.

Simplifique o trabalho
Os processos podem ultrapassar a capacidade de tomar decisões porque são desnecessariamente complexos. A verdade é que a complexidade de uma rotina de trabalho não é necessariamente diretamente proporcional ao seu valor real.

Na maioria das vezes, mais simples é melhor – mas para alcançar a simplicidade é necessário vigilância dos líderes. Significa determinar a maneira mais rápida de realizar o trabalho. Começar com a abordagem mais simples possível primeiro pode frequentemente levar uma equipe do ponto A ao ponto B mais rápido. Isso está em contraste com começar com a abordagem mais abrangente. Complicado nem sempre – ou nunca – é igual a válido.

Hack nº 4: limite de tempo
Dê um limite de tempo de 24 horas para criar um primeiro rascunho ou protótipo.

Hack nº 5: hora de mentoria reversa
Atribua executivos seniors a funcionários juniors por uma hora e peça ao funcionário junior que lhes mostre o que pode ser feito para simplificar o trabalho.

Hack nº 6: cidade de Meme
Transforme os funcionários em criadores de cultura. Dê um prêmio aos três primeiros memes para “simplificar o trabalho”.

Elimine tarefas desnecessárias
Frequentemente, o valor do trabalho é medido pela produção gerada e não pelo resultado real. Focar na produção é realmente apenas uma maneira de fazer as pessoas parecerem ocupadas, e ocupadas não significa necessariamente produtivas. O que realmente importa, é claro, é o resultado final.

Para tornar uma organização mais ágil, tire o foco da tarefa em busca do resultado para o que o resultado do negócio realmente é.

Hack nº 7: “luz vermelha, luz verde”
Como os jogos de trânsito para crianças, discuta em equipe: “O que devemos luz vermelha (parar), luz verde (começar) e luz amarela (continuar)?”

Hack nº 8: elimine ideias sem patrocinador
Teste o compromisso de líderes empresariais com o compromisso de financiar sua iniciativa com dinheiro real. Se não for uma possibilidade, pare de trabalhar nisso imediatamente.

Hack nº 9: Faça uma reunião semanal de “quebra as regras”
Aqui, a equipe pode riscar políticas, cancelar procedimentos antigos, capacitar pessoas, fornecer orçamento para novas ideias e assim por diante. A ideia é interromper comportamentos culturais tóxicos, como negatividade e cinismo.

Como começar? Adapte os princípios e valores já existentes para inspirar uma tomada de decisão mais rápida e confiante.

Para cada um desses três comportamentos, os líderes podem implantar uma série de hacks culturais. “É necessário um processo deliberado para inserir a mudança de cultura na vida diária dos funcionários”, diz Mesaglio.