fbpx
Tempo de leitura: 3 minutos

Apesar de ter surgido em 1997 – oferecendo um serviço de venda e aluguel de DVD pelos correios –, somente em 2007 ela se tornou a plataforma de streaming que hoje é conhecida no mundo todo. Em 2010, a empresa começou a sua expansão mundial, e devido ao grande sucesso e ao crescimento exponencial da plataforma – que chegou aos 139 milhões de assinantes neste ano –, o ano de 2012 marcou a entrada da Netflix para a indústria de produção de conteúdo, estreando sua primeira série: Lilyhammer.

Um conteúdo original da Netflix é qualquer filme, série ou documentário produzido, coproduzido ou distribuído pela empresa e feito exclusivamente para exibição apenas em sua plataforma. Segundo a The Hollywood Reporter, o serviço de streaming investe cerca de US$ 6 bilhões por ano nessas produções.

Apesar de seu conteúdo original agradar ao público e à crítica, é a primeira vez na história do Oscar que uma produção de streaming entra para brigar, de igual para igual, com as produções de Hollywood, e se mostra cada vez mais próxima de ganhar o prêmio principal.

Indicado para a categoria de Melhor Filme, Roma é um drama escrito e dirigido pelo renomado diretor Alfonso Cuarón, e sua indicação para uma das categorias mais disputadas da história do cinema posiciona a Netflix não mais como só um serviço de streaming, mas como uma grande produtora de conteúdos audiovisuais, que prometem balançar ainda mais o mercado.

Roma entrou para disputar o título mais importante da premiação e não parou por aí. Além disso, a obra também está sendo indicada a outras 9 categorias, entre elas: Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original, Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som, Melhor Atriz e Melhor Atriz Coadjuvante.

O drama, que conta a história de uma empregada doméstica que trabalha na casa de uma família de classe média no bairro Roma, situada na Cidade do México, tem tido muita repercussão e relevância na mídia desde que entrou para o catálogo da Netflix. Alguns especialistas associam esse grande sucesso e visibilidade ao fato de ser um filme de um cineasta mexicano, feito totalmente em espanhol e em preto e branco, e produzido com atores mexicanos. Mesmo assim, para entrar na lista de indicados, precisou ser exibido em algumas salas de cinema ao redor do mundo.

Por que Roma representa uma ameaça à indústria cinematográfica?

Não é a primeira vez que a Netflix tenta entrar com suas produções originais na disputa pela categoria de Melhor Filme do Oscar. Em 2016, o longa “Beasts of No Nation” não foi indicado em nenhuma categoria, causando uma certa revolta por parte do público, visto que o filme foi classificado com cinco estrelas pelos telespectadores da Netflix e ganhou 92% de aceitação pelo Rotten Tomatoes.

No entanto, esse novo modelo de distribuição de conteúdo audiovisual coloca em questão “O que é cinema?” e é por isso que, além de ver a Netflix como uma grande ameaça, há muitos dentro da indústria cinematográfica que não concordam com a nomeação de um filme feito para ser exibido primeiramente numa plataforma digital. Em alguns festivais de cinema, como em Cannes, pessoas vaiaram as inscrições da Netflix, e mudaram as regras para impedir que seus filmes fossem exibidos.

Mesmo com todos esses desafios para enfrentar, Roma segue sendo o filme mais elogiado do ano, recebendo mais de 20 prêmios de Melhor Filme de grupos regionais em toda a América, incluindo o Critics’ Choice Awards.

O fato é que a Netflix chegou como uma simples plataforma de streaming e, agora, a cada dia que passa, tem ganhado maior visibilidade e respeito, além de se posicionar no mercado como uma produtora de conteúdos audiovisuais de qualidade. O filme Bird Box, outra produção original que foi um tremendo sucesso, só prova ainda mais sua relevância ao colocar Sandra Bullock como protagonista, uma das atrizes queridinhas de Hollywood.

Em entrevista a um canal do YouTube, a atriz afirmou que o cenário hollywoodiano está mudando e que hoje é possível ver grandes atrizes do cinema fazendo filmes para a plataformas de streaming – Julia Roberts, por exemplo, também está atuando em uma série da Amazon Prime –, quando antes havia uma certa divisão entre quem fazia cinema e quem fazia TV.

Sem dúvidas, assim como seu serviço trouxe a quebra de vários paradigmas e apresentou ao mercado um novo modelo de consumir entretenimento, talvez a grande preocupação da indústria cinematográfica com a indicação de Roma para Melhor Filme – em uma das maiores premiações do cinema – seja com relação ao impacto que isso possa causar na maneira de fazer cinema nos próximos anos.

Será que Roma será a cartada final para posicionar a Netflix como um novo produtor de conteúdo audiovisual?

(A premiação do Oscar acontece dia 24/02 e será transmitido pela TNT)

Natália Fazenda
Área de Conteúdo da HSM

Receba novidades por e-mail.