Tempo de leitura: 1 minuto

À luz da morte de George Floyd pelas mãos do policial Derek Chauvin, as mídias sociais viram um grande apoio ao Black Lives Matter. O movimento levou pessoas de todo o mundo a compartilharem mensagens de solidariedade, lições sobre a importância do movimento e links para organizações de caridade, enquanto pediam o fim da brutalidade policial e do racismo sistêmico.

Em um passado não muito distante, muitas marcas evitaram se alinhar com questões políticas e sociais por medo de alienar amostras de consumidores ou dar o tom errado. Mas alguns estudos, como a nova pesquisa da Morning Consult, mostram que manifestar apoio a causas sociais se tornou um fator determinante para o consumidor. As marcas não devem ficar caladas.

Diversas empresas manifestaram apoio ao movimento com declarações em seus perfis.

TikTok:
“Estamos com a comunidade negra e temos orgulho de fornecer uma plataforma na qual #blacklivesmatter e #georgefloyd geram conteúdo poderoso e importante, com mais de 1 bilhão de visualizações. Estamos comprometidos em promover um espaço onde todos sejam vistos e ouvidos”

Netflix Brasil:
“David, João Pedro, João Vitor, George Floyd e tantos mais. Ficar em silêncio é ser cúmplice, e eu não vou mais me calar. Eu tenho um compromisso e um dever com meus assinantes, funcionários, criadores de conteúdo e talentos negros. #vidasnegrasimportam em qualquer lugar do mundo”

Spotify:
A empresa fez um manifesto sobre seu posicionamento diante da questão racial: “Spotify está com a comunidade negra na luta contra o racismo e a injustiça”. Também criou um hub entitulado “Black History Is Now”, que concentrará podcasts e playlists relacionadas à causa.

Outras empresas anunciaram doações para organizações que buscam maneiras de acabar com o racismo institucionalizado.

YouTube:
“Nos solidarizamos na luta contra o racismo e a violência. Quando membros da nossa comunidade são feridos, todos somos também. Estamos doando US$ 1 milhão em apoio ao combate à injustiça social.

Citi Group:
O grupo publicou uma carta do CFO, Mark Mason, com o título “I can’t breath”. Na publicação, o executivo anunciou doações para três organizações que lutam contra a injustiça e a desigualdade: NAACP Legal Defense and Educational Fund, Advancement Project e Color of Change

[shareaholic app="share_buttons" id="25714566"]
Receba novidades por e-mail.