Tempo de leitura: 1 minuto

Quero acreditar que as empresas já entenderam a real importância de se investir em um treinamento corporativo, para capacitação de colaboradores. Por isso, tem sido cada vez mais comum que elas busquem por métodos diferentes para engajar, de verdade, seus funcionários. Para isso, muitos gestores fazem uso de gamificação, microlearning, realidade virtual, realidade aumentada, entre outros. Recursos. Porém, é preciso ir além para atender todas as possibilidades e oferecer treinamentos efetivos em todas as esferas de um negócio.

Uma recente pesquisa da Gartner, empresa de consultoria, prevê que o número de pessoas com deficiência nas empresas triplicará até 2023. Esse dado só mostra o quanto é essencial que as organizações apostem em variados métodos de gerenciamento de talentos e aprendizado, para o processo de inclusão desses funcionários.

Além disso, é de suma importância entender que é preciso sempre pensar fora da caixa para engajar e estimular o conhecimento dos colaboradores de maneira mais leve e para que se sintam parte da empresa. Vou dar um exemplo para ficar mais claro. Se estamos falando de um deficiente visual, é imprescindível investir em ferramentas de áudio. Mas o desafio para o gestor, em um caso como esse, é: como tornar essas ferramentas mais atraentes do que um áudio simples, onde o interlocutor fala sem parar?! A resposta é relativamente simples: é preciso de mais interação, para transformar aquele material, que seria morno, em um conteúdo mais rico.

O Google, por exemplo, lançou recentemente três soluções bem interessantes para deficientes visuais e com perda auditiva – o Google Lockout, o Live Transcribe e Soud Amplifier. O primeiro, trata-se de um aplicativo que usa inteligência artificial para identificar objetos e o ambiente, e descrevê-los. Além da proposta ser um recurso de inclusão, esse app pode contribuir com atividades rotineiras como cozinhar, limpar e fazer compras.

O segundo é um aplicativo que transforma as falas em legendas em tempo real na tela do smartphone, disponível em mais de 70 idiomas. Já o terceiro, ajuda a remover os ruídos de externos de áudios que podem prejudicar o entendimento. Além disso, ele possui uma funcionalidade de aumentar ou amplificar o som, melhorando a clareza do conteúdo e diminuindo barulhos de forma personalizada para se adaptar a necessidade de cada pessoa.

Ou seja, a tecnologia auxilia, cada vez mais, as pessoas no dia a dia. Sendo assim, por que não pensar nela também como solução de inclusão em treinamentos corporativos?! Em vez de continuar batendo nos mesmos métodos tradicionais é essencial que façamos uso de todos os recursos e inovações que temos acesso da maneira mais positiva possível. Pense nisso.

[shareaholic app="share_buttons" id="25714566"]
Receba novidades por e-mail.